A Presidência do Conselho da UE

Conselho da UE

Uma Presidência rotativa

A Presidência do Conselho é exercida em regime rotativo pelos Estados-Membros da UE por períodos de seis meses. Durante cada semestre, a Presidência dirige as reuniões a todos os níveis no âmbito do Conselho, contribuindo assim para garantir a continuidade dos trabalhos da UE no Conselho.

Os Estados-Membros que exercem a Presidência trabalham em estreita cooperação por grupos de três, chamados "trios". Este sistema foi instituído pelo Tratado de Lisboa em 2009. O trio fixa os objetivos a longo prazo e prepara uma agenda comum que estabelece os temas e as principais questões que o Conselho irá tratar ao longo de um período de 18 meses. Com base nesse programa, cada um dos três países prepara o seu próprio programa semestral mais detalhado.

O trio atual é constituído pelas Presidências da Estónia, da Bulgária e da Áustria.

A Presidência estónia do Conselho da UE: 1 de julho – 31 de dezembro de 2017

As prioridades da Presidência estónia baseiam-se na agenda estratégica do Conselho Europeu e nos objetivos comuns definidos pelos Estados‑Membros e pelas instituições da UE na Declaração de Roma por ocasião do 60.º aniversário dos Tratados de Roma. A Presidência estónia centrar‑se‑á na preservação de valores comuns, como a prosperidade, a segurança, a paz e a estabilidade na Europa. Procurará manter a unidade europeia através de decisões práticas.

Ao longo dos próximos 6 meses, a Presidência centrar-se-á em quatro domínios essenciais: uma economia europeia aberta e inovadora, uma Europa segura e protegida, a Europa digital e a livre circulação de dados, e uma Europa inclusiva e sustentável.

Siga a Presidência no:

Presidências do Conselho até 2020

Estónia: julho – dezembro de 2017
Bulgária: janeiro – junho de 2018
Áustria: julho – dezembro de 2018
Roménia: janeiro – junho de 2019
Finlândia: julho – dezembro de 2019
Croácia: janeiro – junho de 2020
Alemanha: julho – dezembro de 2020

Atribuições da Presidência

A Presidência é responsável por impulsionar os trabalhos do Conselho em matéria de legislação da UE, assegurando a continuidade da agenda da UE, o bom desenrolar dos processos legislativos e a cooperação entre os Estados-Membros. Para tal, a Presidência tem de atuar como mediador íntegro e imparcial.

A Presidência tem duas atribuições principais:

1. Planear e presidir às reuniões do Conselho e das suas instâncias preparatórias

A Presidência preside às reuniões das diferentes formações do Conselho (com exceção do Conselho dos Negócios Estrangeiros) e das instâncias preparatórias do Conselho, que incluem comités permanentes como o Comité de Representantes Permanentes (COREPER) e como grupos de trabalho e comités que tratam de assuntos muito específicos.

A Presidência assegura o bom andamento dos debates e a correta aplicação do Regulamento Interno e dos métodos de trabalho do Conselho.

Organiza também diversas reuniões formais e informais em Bruxelas e no país que exerce a Presidência rotativa.

2. Representar o Conselho nas relações com as outras instituições da UE

A Presidência representa o Conselho nas relações com as outras instituições da UE, em particular com a Comissão e o Parlamento Europeu. O seu papel é tentar chegar a acordo sobre dossiês legislativos por meio de trílogos, reuniões de negociação informais e reuniões do Comité de Conciliação.

A Presidência trabalha em estreita coordenação com:

  • o Presidente do Conselho Europeu
  • o Alto Representante da União para os Negócios Estrangeiros e a Política de Segurança

A Presidência apoia o trabalho de ambos e pode por vezes ser chamada a desempenhar certas funções por conta do Alto Representante, tais como representar o Conselho dos Negócios Estrangeiros no Parlamento Europeu ou presidir ao Conselho dos Negócios Estrangeiros quando este discute questões de política comercial comum.