Donald Tusk

Conselho Europeu

Presidente do Conselho Europeu

Donald Tusk nasceu em Gdansk, na Polónia, em 22 de abril de 1957. O pai era carpinteiro dos caminhos de ferro, a mãe secretária num hospital. Donald Tusk tinha 14 anos quando o pai morreu.

Em 1976, começou a estudar História na Universidade de Gdansk, onde participou em atividades ilegais contra o regime comunista. Nessa altura, colaborou nomeadamente com os Sindicatos Livres clandestinos e conheceu o futuro líder do movimento Solidariedade, Lech Walesa.

Em 1980, Donald Tusk fundou a Associação de Estudantes Independente (NSZ), integrada no movimento Solidariedade. Tornou-se o líder do Solidariedade no seu local de trabalho e foi jornalista num jornal publicado pelo Solidariedade.

Depois da imposição da lei marcial pelo General Jaruzelski, em dezembro de 1981, esteve na clandestinidade durante algum tempo. Posteriormente trabalhou como vendedor de pão e mais tarde, entre 1984 e 1989, ganhou a vida como operário especializado no trabalho em altura com equipamento de acesso por corda.

Paralelamente, era ativista no movimento clandestino Solidariedade. Preso durante um curto período, foi libertado na sequência de uma amnistia dos presos políticos decretada pelo General Jaruzelski.

Em 1983, Donald Tusk fundou uma revista mensal clandestina, a "Revista Política", que propalava o liberalismo económico e as regras da democracia liberal, em torno da qual se constituiu um grupo de reflexão que apoiava Lech Wałęsa. Depois da queda do comunismo, os membros desse grupo de reflexão, conhecidos como "liberais de Gdansk", formaram um governo na sequência das primeiras eleições presidenciais livres na Polónia.

Ao mesmo tempo, fundaram o primeiro partido favorável à livre empresa e pró-europeu da Polónia, o Congresso Liberal Democrático, cujo líder era Donald Tusk, igualmente responsável pela abolição do monopólio do Estado e pela privatização do antigo consórcio estatal da imprensa do período comunista.

Nos anos 90, Donald Tusk foi membro do Parlamento, tendo desempenhado, entre outras, as funções de Vice-Presidente do Senado.

Nesse período, publicou uma série de livros sobre a história de Gdansk, alguns dos quais se tornaram campeões de vendas.

Em 2001, Donald Tusk foi um dos fundadores do novo partido centrista denominado Plataforma Cívica, que passou a liderar em 2003.

Em 2007, após uma campanha eleitoral dura, derrotou o partido de direita no poder e tornou-se Primeiro-Ministro. Desempenhou essas funções durante sete anos, o que fez dele o Primeiro-Ministro com o mandato mais longo da Polónia democrática, e o primeiro a ser reeleito.

Durante os sete anos do seu mandato, a Polónia manteve o crescimento económico e, durante a crise, a economia polaca cresceu quase 20%, um desempenho recorde na Europa.

Em 2014, Donald Tusk foi eleito para o cargo de Presidente do Conselho Europeu e, em 2017, foi reeleito para um segundo mandato de dois anos e meio.