Utilizamos testemunhos de conexão (cookies) para lhe garantir a melhor experiência de navegação no nosso sítio Internet. Saiba mais sobre como utilizamos os testemunhos de conexão (cookies) e como pode mudar a sua configuração.

27 de abril de 2015: 17ª Cimeira UE-Ucrânia em Kiev

Em 27 de abril de 2015, o Presidente Donald Tusk e o Presidente Jean-Claude Juncker irão representar a UE na Cimeira UE-Ucrânia em Kiev. A Alta Representante da UE, Federica Mogherini, e o Comissário Johannes Hahn irão acompanhá-los.

Esta será a primeira Cimeira UE-Ucrânia a ter lugar no âmbito do novo Acordo de Associação. 

A Cimeira será uma oportunidade para os dirigentes da UE e da Ucrânia debaterem:

  • os progressos realizados pela Ucrânia no seu processo de reformas políticas e económicas 
  • o conflito no leste do país e a aplicação dos acordos de Minsk  
  • questões regionais de âmbito mais alargado e os preparativos para a próxima Cimeira da Parceria Oriental que se realizará em Riga.

27 de abril de 2015: 17ª Cimeira UE-Ucrânia em Kiev

Em 27 de abril de 2015, o Presidente Donald Tusk e o Presidente Jean-Claude Juncker irão representar a UE na Cimeira UE-Ucrânia em Kiev. A Alta Representante da UE, Federica Mogherini, e o Comissário Johannes Hahn irão acompanhá-los.

Esta será a primeira Cimeira UE-Ucrânia a ter lugar no âmbito do novo Acordo de Associação. 

A Cimeira será uma oportunidade para os dirigentes da UE e da Ucrânia debaterem:

  • os progressos realizados pela Ucrânia no seu processo de reformas políticas e económicas 
  • o conflito no leste do país e a aplicação dos acordos de Minsk  
  • questões regionais de âmbito mais alargado e os preparativos para a próxima Cimeira da Parceria Oriental que se realizará em Riga.

O Conselho Europeu

O Conselho Europeu define as orientações e prioridades políticas gerais da UE. O Conselho Europeu é composto pelos Chefes de Estado ou de Governo dos Estados-Membros da UE, bem como pelo seu Presidente e pelo Presidente da Comissão Europeia.

O Conselho da UE

O Conselho da UE é a instituição que representa os governos dos Estados-Membros. Conhecido informalmente como o Conselho da UE, é aqui que os ministros de cada um dos países da UE se reúnem para adotar legislação e coordenar políticas.

O Conselho é um decisor essencial da União Europeia. Negoceia e adota a nova legislação da UE, adaptando-a quando necessário, e coordena as políticas. Na maior parte dos casos, o Conselho decide em conjunto com o Parlamento Europeu através do processo legislativo ordinário, também conhecido por "codecisão". 

Em alguns domínios muito específicos, o Conselho toma decisões através de processos legislativos especiais - o processo de aprovação e o processo de consulta - em que o papel do Parlamento é limitado. 

Temas

O Conselho Europeu e o Conselho da UE desenvolvem atividades numa vasta gama de domínios, que incluem:

Em destaque

Resposta à migração ilegal

A prevenção e o combate à migração ilegal são prioridades da União Europeia. Na sequência dos acontecimentos trágicos no Mediterrâneo em 19 de abril, os Chefes de Estado ou de Governo reuniram-se para debater a forma como a UE pode melhorar a sua resposta. Os debates basearam-se nos resultados da reunião extraordinária do Conselho dos Negócios Estrangeiros e da Justiça e Assuntos Internos, realizada em 20 de abril. As principais questões debatidas foram:

  • o combate aos traficantes e passadores de seres humanos
  • o reforço da presença no mar
  • o reforço da solidariedade interna
  • a prevenção dos fluxos de migração ilegal

Em destaque

Resposta à migração ilegal

A prevenção e o combate à migração ilegal são prioridades da União Europeia. Na sequência dos acontecimentos trágicos no Mediterrâneo em 19 de abril, os Chefes de Estado ou de Governo reuniram-se para debater a forma como a UE pode melhorar a sua resposta. Os debates basearam-se nos resultados da reunião extraordinária do Conselho dos Negócios Estrangeiros e da Justiça e Assuntos Internos, realizada em 20 de abril. As principais questões debatidas foram:

  • o combate aos traficantes e passadores de seres humanos
  • o reforço da presença no mar
  • o reforço da solidariedade interna
  • a prevenção dos fluxos de migração ilegal